Rodando RouterOS Mikrotik x86 no GNS3

MikroTik RouterOS é um sistema operacional stand-alone fabricado pela empresa MikroTik. Ele também pode ser instalado em plataforma i386 e transformar um simples PC em um poderoso sistema de roteamento com todas as funções de um roteador como, roteamento, firewall, controle de banda, acesso sem fio, hotspot, servidor de vpn, etc.

Esse tutorial explica como instalar o RouterOS em um disco virtual Qemu para ser utiliiadoem seu GNS3 para simulações com esse sistema.

Você pode fazer o download da imagem Mikrotik RouterOS x86 instalado em Qemu na seção de Downloads.

Pré-requisitos do sistema

Virtual Machine Prerequisites

  • arquitetura compatível com i386
  • mínimo de 32MB de RAM
  • mínimo de 64 MB de DISCO
  • cartões de rede suportados pelo kernel do seu linux (PCI, PCI-X)

Instalação do RouterOS x86

1. Faça o download RouterOS para arquitetura x86

$ wget http://download2.mikrotik.com/routeros/6.32.4/mikrotik-6.32.4.iso

2. Crie um disco virtual Qemu e inicie a máquina virtual

$ /usr/local/bin/qemu-img create -f qcow2 routeros-6.32.4.img 200M
$ /usr/local/bin/qemu-system-i386 -m 512 -enable-kvm -boot d -cdrom mikrotik-6.32.4.iso routeros-6.32.4.img

3. Efetue a instalação do RouterOS

Utilize a barra de espaço para selecionar os pacotes necessários e depois pressione I para instalar o sistema.

Picture1-Packages_Installation-300x184

Figura 1 – Instalação do RouterOS

4. Iniciar o disco Qemu com RouterOSDepois que o disco for formatado os pacotes serão copiados, para iniciar uma instancia do Routeros execute o seguinte comando:

$ /usr/local/bin/qemu-system-i386 -m 512 -enable-kvm -boot c routeros-6.32.4.img -nographic -serial telnet::4444,server,nowait

Agora você poderá logar no RouterOS com o seguinte comando telefone:

$ telnet 127.0.0.1 4444

Usuário é admin com senha em branco..

Agora é só adicionar seu imagem Qemu dos RouterOS ao GNS3 (no menu de preferências)

Facebooktwittergoogle_pluslinkedinmail

Alguns comandos básico de rede: Linux/Windows

Este post é a respeito de alguns comandos básicos utilizados em Windows/Linux que eu acho importante.
  • Mostrar as configurações de rede e adaptadores
    1. windows : “ipconfig” ou “ipconfig /all
    2. Linux: “ifconfig” ou “ifconfig nome-adaptador
  • Mostrar os processos e aplicações rodando
    1. windows : “tasklist
    2. Linux: “ps aux” ou “top” (Top é usado para mostrar memoria e utilização de CPU usado pelo processos rodando)
  • Matar os processos/tarefas
    1. windows : “taskkill -pid 4000” ou “taskkill -im iexplore.exe
    2. Linux: “kill -9 pid
  • Mostrar as conexões TCP e portas que estão abertas para conexão
    1. windows : “netstat -a
    2. Linux: “netstat -an
  • Diagnósticos de DNS: Resolver um nome de host para o endereçamento IP
    1. windows : “nslookup google.com
    2. Linux: “dig google.com
  • Ping : ferramente utilizada para tesar se um determinado host está disponível ou não.
    1. windows/Linux IPv4 : “ping 74.125.236.73
    2. Windows/Linux IPv6: “ping6 9901::1
  • Path Ping : Para verificar todos os roteadores presentes no caminho até o destino.
    1. windows : “pathping google.com
    2. Linux: “tracepath google.com
  • Atribuir um IP e Subrede em Interfaces Linux.
    1. Linux – IPv4 : “ifconfig eth0 192.168.1.2 netmask 255.255.255.0
    2. or Linux – IPv4 : “ifconfig eth0 2.2.2.2/24
    3. Linux – IPv6 : “ifconfig eth1 inet6 add 9901::2/64
  • Apagar um IP de interfaces Linux.
    1. Linux – IPv4 : “ifconfig eth1 del 2.2.2.3 netmask 255.255.255.0
    2. Linux – IPv6 : “ifconfig eth1 inet6 del 9901::2/64
  • Alterar o MTU(Maximum Transmit Unit) em interfaces Linux.
    1. Linux : “ifconfig interface_name mtu value
    2. Linux : “ifconfig eth1 mtu 1300
  • Mostrar tabela de rotas.
    1. windows : “netstat -r” or “route print
    2. Linux- IPv4: “route -A inet” or “route -4” or “ip route
    3. Linux -IPv6: “route -A inet6” or “route -6” or “ip -6 route
  • Adicionar/Deletar rotas estáticas.
    1. windows- IPv4 : “route add 10.10.10.0 mask 255.255.255.0 192.168.1.12
    2. Windows – IPv6 : “netsh interface ipv6 add route 9901::/64 “Local Area Connection” 2001::1
    3. Linux-IP4: “route add -net 3.3.3.0 netmask 255.255.255.0 gw 1.1.1.1
    4. Linux-IP4: “ip route add 3.3.3.0/24 via 1.1.1.1
    5. Linux-IP6: “route -A inet6 add 9901::/64 gw 2001:0db8:0:f101::1
    6. Linux-IP6: “ip -6 route add 9901::/64 via 2001:0db8:0:f101::1
  • Trace route : ferramente de diagnóstico para mostrar as rotas até o destino.
    1. windows : “tracert google.com
    2. Linux: “traceroute google.com
  • Secure Shell :SSH é um protocolo de rede para comunicação segura e execução de comandos remotos.
    1. SSH-IPv4 : “ssh username@IPv4_address” Ex: ssh root@74.125.236.73 será solicitado a senha de conexão.
    2. SSH-IPv6: “ssh username@IPv6_address”  Ex : ssh username@9901::1.
  • Secure FTP : SFTP é um protocolo de rede para acesso a arquivos, transferências de arquivos e gerenciamento de arquivos remotos.

1. SFTP-IPv4 : “sftp username@IPv4_address“. Ex: sftp root@74.125.236.73

2. Linux: “sftp username@[IPv6_address]“. Ex:  sftp username@[9901::15]

  • Secure Copy ou SCP : Significa transferencia de maneira segura entre um computador com arquivos locais e um ponto de destino remoto. E baseado em protocolo SSH.
    1. SCP Linux : scp  username@IP:/Dir/File_name /local_dir
    2. Ex:     scp  root@10.217.208.40:/root/roy.txt .
    3. SCP windows : Para Windows você pode utilizar, WinSCP.
Facebooktwittergoogle_pluslinkedinmail